Coronel Mario propõe criação de fundo para recuperação de bens lesados

por Assessoria de Imprensa última modificação 15/03/2018 11h26
Projeto possibilita retorno de verba ao município para reparação de patrimônio danificado

A prática de vandalismo é considerada crime no território brasileiro. No entanto, mesmo com a punição do autor, muitas vezes o patrimônio público danificado não recebe reparação, entre os motivos, por falta de verba para a sua recuperação. Considerando os recentes casos de vandalismo praticados em Canoinhas – como na decoração natalina de praças, em dezembro do último ano -, o presidente da Câmara, Coronel Mario Erzinger (PR), apresentou o Projeto de Lei Nº 21 de 2018, que “autoriza a instituição do Fundo Municipal para a Reconstituição de Bens Lesados – FMRBL e do Conselho Gestor do FMRBL”. Durante a sessão de terça-feira, 13, Erzinger justificou na tribuna os objetivos do projeto e de que forma o fundo deve funcionar, caso instituído.

            Em sua fala, o presidente ressaltou o sentimento de impotência que, mesmo em sua trajetória como Policial Militar, sentia em relação aos atos de vandalismo. Erzinger relatou que, como vereador, buscou legislações existentes que possibilitem a recuperação dos bens públicos lesados. Tendo como base a regulamentação de outros municípios, o vereador elaborou o PL, de caráter autorizativo, o que possibilita que sua apresentação seja de origem legislativa.

            Em justificativa, Erzinger destacou que a criação do fundo “visa ressarcir e prevenir danos causados à coletividade relativos ao meio ambiente, ao consumidor, à economia popular, a bens e direitos de valores artísticos, estéticos, históricos, turísticos e paisagísticos, à ordem urbanística, à ordem econômica, ao patrimônio público ou a qualquer outro interesse difuso ou coletivo no âmbito do Município de Canoinhas”.

A criação do fundo se dá, principalmente, para tornar possível o retorno dos valores de até 50% das multas estabelecidas em acordos extrajudiciais ou Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) relativos a danos no patrimônio público. Segundo a Lei Estadual Nº 15.694 de 2011, o percentual pode ser destinado ao município onde o dano tenha ocorrido, desde que exista um fundo específico regulamentado por lei municipal, para a recuperação destes bens. Desta forma, mediante a aprovação e sanção da matéria, o município poderá ter acesso à uma verba que, atualmente, não retorna à cidade pela falta de regulamentação. “O Ministério Público até estimula a criação de legislação municipal para fazer o repasse desse recurso”, afirmou o presidente.

            Erzinger explicou que, como o dano ao patrimônio público já é um ato que cabe à fiscalização da Polícia Militar, as penalidades previstas para o praticante de vandalismo continuarão as mesmas. Com a instituição do fundo, o que muda é que haverá a possibilidade de reaver um percentual das multas pagas nesses casos para a recuperação do patrimônio público.

            Ao parabenizar o presidente pelo projeto, o vereador Paulo Glinski (PSD) explicou que, em alguns casos, a justiça determina a reparação do dano. No entanto, nem sempre, o praticante do ato de vandalismo está apto a recuperar o patrimônio lesado, o que exige a ação de uma equipe técnica. “Dentro dessa linha, havendo um fundo municipal, é possível ser estipulado um valor para que seja realizado um depósito para fazer a reparação”, afirmou.

            O teor do projeto também foi elogiado pelos vereadores Célio Galeski (PR), Norma Pereira (PSDB) e Camila Lima (MDB). “Com o PL e a criação do fundo, há a possibilidade de que o dinheiro possa retornar para o município e, então, ajuda-lo a repor os bens que foram danificados”, relatou Galeski. “Que unamos forças para que ele seja implementado da melhor forma possível”, afirmou Norma.

Assessoria de Imprensa

Câmara Municipal de Vereadores de Canoinhas

Jornalista Adriane Hess – MTB/PR 0011145

Fones: 47 3622 3396/ 47 9 9616-7123