Nota da Câmara de Vereadores de Canoinhas

por Assessoria de Imprensa última modificação 14/11/2018 07h34
A Câmara de Vereadores não pode, por força de lei, realizar nenhum repasse de recurso a nenhuma entidade
Nota da Câmara de Vereadores de Canoinhas

Reunião de vereadores e equipe do hospital aconteceu na segunda

Foi realizada na segunda-feira, 12, por solicitação da direção do Hospital Santa Cruz de Canoinhas, reunião com os vereadores e membros das Comissões Permanentes.

A reunião teve como objetivo discutir a solicitação de recursos ao Hospital Santa Cruz de Canoinhas. Participaram da reunião todos os vereadores, além do assessor jurídico da Câmara, Alan Braz Damaso da Silveira. Estiveram também os membros da diretoria do Hospital Santa Cruz, sendo o presidente Artur Rogério Burgardt; diretor administrativo Derby Fontana Neto e presidente do conselho deliberativo, João Mário Groscopp.

O diretor do hospital discorreu sobre as dificuldades financeiras do hospital, e devido o atraso no pagamento da porta de entrada do Sistema Único de Saúde – SUS, o Governo do Estado já acumula uma dívida aproximada de R$ 600 mil do Estado com o Hospital de Canoinhas.

Segundo Derby não há previsão para pagamento da dívida pelo Estado, e a partir de 1º de janeiro de 2019 o hospital ficará sem porta de entrada da urgência por conta da nova legislação.

O vereador presidente da Câmara, Coronel Mario Erzinger (PR) explicou que os problemas do hospital são recorrentes, e que todas as vezes que foi encaminhado projeto de Lei por parte do Executivo, os vereadores prontamente aprovaram. Explicou que com relação ao adiantamento da devolução de R$ 550 mil ao Poder Executivo, este assunto foi tratado com o prefeito antes da solicitação oficial do hospital.

Ainda justificou que a Câmara de Vereadores não pode, por força de lei, realizar nenhum repasse de recurso a nenhuma entidade.

Com relação à situação que o vereador Paulo Glinski (PSD) discorreu na Câmara, sobre o pagamento aos médicos de honorários referente a internação cirúrgica de pacientes no hospital de Canoinhas, alegou que preservará o paciente, e não fez menção ao profissional médico, porque no seu entendimento requer uma apuração mais detalhada. Foi explicado aos vereadores que os médicos podem cobrar pelo atendimento particular o valor que entendam correto e que o hospital não tem gerência sobre estes valores, e em casos específicos o paciente deve se dirigir a um hospital da especialidade necessitada ou realizar o procedimento de forma particular.

A direção do hospital irá analisar os assuntos debatidos na reunião, e confirmou o uso da tribuna na sessão da próxima segunda, 19.